sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Claytronics

"Argilotrônica" formará qualquer objeto com micro-robôs automontantes
Da redação
31/01/2008






A "argilotrônica" bem poderia ser a tentativa de incorporar funcionalidades eletrônicas em materiais feitos de cerâmica. Mas os engenheiros da Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, estão pensando em algo muito mais "high- tech".

Claytronics

O termo em inglês, Claytronics, suscita uma idéia de plasticidade unida à eletrônica. O filme mostra bem a idéia dos pesquisadores. Por enquanto trata-se apenas de uma montagem digital para divulgar o conceito, que poderá um dia revolucionar a forma como os projetistas e designers criam novos produtos.

O projeto Claytronics combina robótica modular, sistemas microeletromecânicos (MEMS) e ciência da computação para criar uma versão tridimensional de qualquer objeto que possa ser desenhado no computador, em programas de CAD, por exemplo.

Dando concretude à informação

Segundo os pesquisadores, seu objetivo é transformar a informação - os bits digitais que representam as imagens - em formas tangíveis e interativas, de tal forma que os ambientes digitais possam ser experimentados sem que o usuário perceba a diferença entre o que é virtual e o que é real.

Cátomos

Os objetos tridimensionais não serão simplesmente projeções holográficas, mas objetos reais montados a partir de unidades básicas, que os pesquisadores batizaram de cátomos (Claytronics Atoms), os átomos da argilotrônica.

Os cátomos deverão ser capazes de se unir uns aos outros para formar os objetos. No limite, para que os materiais resultantes pareçam realmente lisos ao toque, milhões desses cátomos deverão participar na formação de cada objeto.




Fonte: Inovação Tecnológica




Penso que roubaram meus pensamentos.
Meses atrás eu pensei em nanomáquinas capazes de feitos prodigiosos para o nosso tempo.

Em minha divagação, elas seriam capazes de:
  • Reconstituir um membro perdido;
  • Aplicar drogas nos locais específicos (o remédio contra dor que tomamos, afeta o corpo inteiro, não somente a parte que está doendo);
  • Tomar a forma de uma roupa, e vestir a pessoa . Dando a possibilidade de, por exemplo, acessar a internet aonde quer que se esteja;
  • Gravar todas as suas sensações e, poder repassá-las para alguém;
  • De te levar à Matrix.
  • E muitas outras coisas...
Enfim, sonho com esta possibilidade...

Um comentário:

disse...

Olá, Marcelo.

Há muitas dúvidas em relação a esta nova e incríveeeel tecnologia. Já entrei em vários sites falando sobre esse assunto, e enfim, minha opinião é que eu não acho que estamos na nossa melhor época, mas lendo seu post, a gente fica feliz que isso seja mesmo uma possibilidade, né?! Eu, na realidade, também já havia pensado nisso, mesmo antes de ler sobre qualquer assunto a respeito disso; e eu então fiquei maior feliz em assistir uma reportagem falando sobre tal assunto! Cara, isso seria uma revolução meeesmo, não só para medicina, enfim... Meu sonhos estariam realizados, cara. haha
Josy

Postar um comentário

Diga algo aí, não seja tímido!